segunda-feira, novembro 17, 2008

Abismo

É engraçado como é forte essa palavra.
No significado de abismo tem algo ríspido, intratável, intransponível.
Um abismo é aquele ponto onde você deve parar, e olhar com calma.

A primeira vez que eu me debrucei num abismo, de forma literal, na carne e na pedra, foi em Minas Gerais, no pico do Papagaio. Coloquei minha cabeça pra fora, deitado no chão, e olhei para baixo, para o abismo. Lindo. Aterrorizante, principalmente se você não está vestindo um para-quedas.

E o abismo, não o abismo da pedra, nem o abismo do céu, onde estão todas aquelas estrelas, no abismo que paira sobre nossas cabeças.
O abismo do tempo.
Este que é o mais abstrato e mais implacável dos abismos.
O abismo do tempo quando passa, e deixa as coisas lá longe, naquela distância incalculável, ininteligível, e que pode ser uma distância de poucos segundos, ou centésimos, ou milésimos - mas igualmente inatingível.
Esse é o abismo que a gente luta por cruzar.
Construímos diversas pontes, mas todas elas ineficazes.
Ele é intransponível, intratável, ríspido.
E não conseguimos deixar de contemplar o abismo.
Olhando uma foto, um vídeo. Uma dessas frágeis pontes abissais.
Olhando para o abismo não conseguimos tocá-lo.
Porque o tempo não existe.

3 comentários:

adélia jeveaux disse...

Por isso eu sou anti-nostalgia.
Olhar pra trás só me dá torcicolo.

Srta.T disse...

O tempo existe e Natura Chronos tá aí pra mostrar isso pra gente.
E pra quando as lembranças ficarem pesadas demais, sempre há o alemão (seja a cerveja, sela o Mal).

Afinal, quem tem Alzheimer, vive em dobro.

adélia jeveaux disse...

Nossa, prefiro a cerveja.
Uma vida já dá um trabalho do cacete, imagine duas.