sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Contraponto

Está se sentindo melhor agora?
Estas luzes todas despertando seu amanhecer, estes sons destes carros que passam tão rápido ao lado de sua cabeça neste intervalo tão pequeno de tempo, tanta coisa e tanto peso passando desatento e desatinando seus pensamentos tanto até que estes se parem.

Como quando você tem aquela vontade de pegar todos aqueles papéis acumulados por duas dezenas de anos sentado escrevendo. Aquele monte de cadernetas, cadernos, livros, agendas e folhas soltas recheados de palavras. Tudo aquilo escrito nestas duas dezenas e você não tem coragem de queimar tudo numa fogueira no centro de seu quarto. Que é onde você deita e dorme todas as noites quando não está viajando em algum lugar distante dentro deste continente no sul.

Quando você não está em casa, e todos esses papéis dentro de caixas e mais caixas, junto com seus mapas, e as fotos, todas misturadas entre elas mesmas. E um dia você não acha justamente aquela foto. Aquela que você queria.

E todos aqueles livros empilhados que você já leu mas que não quer se desfazer, porque volta e meia você esquece alguma coisa e recorre a eles pra lembrar, mas quando lembra já não lembra mais por que queria lembrar e acaba esquecendo de terminar o que começou quando procurou o livro no meio de todos os livros empilhados que você já leu e não quer se desfazer.

E finalmente deita sua cabeça no travesseiro, esquece todas as coisas que te circundam. Tenta não escutar o ruído constante que vem da avenida. E quando esse ruído começa a desaparecer você entra dentro do seu subconsciente pra dar aquela esticada na cabeça, descansar um pouco pra depois ter que lembrar de enfrentar todas aquelas milhares de folhas recheadas de palavras por todos os cantos forrando as paredes.

Um comentário:

blésq blop blum disse...

poxa, você me surpreende.
mesmo depois das voadoras.